segunda-feira, 13 de junho de 2011

Partilhar devaneios e tontarias

Momento do tricot...

Trauma de infância:

Sopa de tomate!!
Não pelo caldo, mas sim pelos pedaços das peles do dito tomate que a minha avó fazia questão de manter. Não contente com isso, fazia-nos comer tudo o que estava no prato incluindo as tais peles. Claro está que era vomito na certa, assim como baba e ranho de tanto choro que vinha de seguida. Claro está também que vezes e vezes tais aproveitava o facto dela ir ao WC, e eram sacos que voavam pela janela com a bela da sopa. Porém, nem sempre era possível tal proeza. Talvez por isso nem consiga ver a sopa à minha frente.

Definitivamente, não é obrigar que levamos a água ao nosso moinho. Sem falar nas sequelas... é que por mais insignificantes que sejam, fazem sempre os seus estragos.

22 comentários:

  1. A sopa eu até comia. O pior eram as peles que me engasgavam.
    E as chamadas "ervilhas de quebrar", cujas vagens se comem como feijão verde?
    Tinham fios (como o feijão verde velho) e já a vagem estava a chegar ao estômago ainda o fio estava preso na boca a provocar vómitos.

    ResponderEliminar
  2. Pior que isso tudo mesmo é.... sopa de peixe.

    ResponderEliminar
  3. Eu era mais a sopa de fígado... eu quando era pequena era uma peste para comer e por isso era magricela que chegue... então a minha mãe dava-me sopa de fígado aquilo era medonho.

    ResponderEliminar
  4. Lol, e era eu com os iogurtes de ananás. Traumático, mesmo!
    Beijinhos,
    Sofia

    ResponderEliminar
  5. Concordo plenamente... uma lição para a vida! :)

    beijo
    Sutra

    ResponderEliminar
  6. Ahah, todos temos traumas com comida !

    Gostei muito do blog, sigo :)

    ResponderEliminar
  7. Olá A Minha Essência

    Tendo por base a citação: "O cinema não tem fronteiras nem limites. É um fluxo constante de sonho." de Orson Welles, a equipa do Cine31 (http://cine31.blogspot.com/) gostava de te convidar a partilhar com os leitores/visitantes deste espaço, aquele que consideras ser "o filme da tua vida". Aquele filme que te marcou incontornavelmente e que por - uma ou mais razões te emociona sempre que o vês ou até mesmo, sempre que pensas nele.

    Para que todos percebam a escolha,pedimos que escrevas um pequeno texto (máximo 10 linhas) com a justificação.

    :)
    Se quiseres e tiveres tempo, gostaria muito que participasses.

    nota: quando tiveres a resposta diz qualquer coisa

    P'lo Cine31
    Sofia

    ResponderEliminar
  8. Bem boa. Mas não tinhamos hábito de comer sopa de tomate.
    O meu trauma é Iscas de fígado com cebolada. Bilhéc, 3x bilhéc

    ResponderEliminar
  9. Chiça! Não tenho traumas desse tipo. Era uma magricela em criança, mas comia quase de tudo, só que em doses pequenas, à excepção de queijo! Bem tentavam obrigar-me, mas diz o meu irmão que eu até tinha uma canção: "comi queijo e não gostei!"...
    Beijinhos,
    Madalena

    ResponderEliminar
  10. Espero que os meus irmãos não leiam isto se não lá se vai a sopa de cenoura! Ehehe. Eu ri-me bastante. É uma boa táctica de dar sumiço à sopa!

    ResponderEliminar
  11. Sopa de tomate com peles? É mesmo para dar vomitos.

    ResponderEliminar
  12. Eu adoro sopa de tomate, mas o meu trauma era e é...gelatina e pudim. Detesto mesmo! Fico mal-disposta só de ver. beijo

    ResponderEliminar
  13. No que diz respeito a comida, o meu trauma, decididamente, era a moleirinha. O pessoal da minha geração levou com essa e com o óleo de fígado de bacalhau. As gerações seguintes nem sabem do que escaparam...

    :)

    ResponderEliminar
  14. Nunca aqui nesta casa se comeu sopa de tomate.
    Gosto de tomate no arroz, na salada, mas sopa, apesar de nunca ter provado, também não era capaz de a comer...pelo o cheiro!

    :)

    ResponderEliminar
  15. Por onde começar...sopa de tomate, favas, coelho, alho, cebola, couves...
    Era exímia na arte de esconder um prato de batatas com peixe num espaço de minutos.

    ResponderEliminar
  16. Não será trauma, mas vomitava-me todo quando bebia leite na creche. Tudo porque eu estava mais que habituado a bebê-lo sem nada. Como o resto era uma cambada de mariquinhas, colocavam açúcar no leite. Eu ficava enjoado e vá de gregório à hora do lanche. Vá lá, um dia lá me perguntaram porquê e eu disse. Pelos vistos era o único a beber leite e somente leite por lá.

    Como tudo, gosto de tudo. Cozido, frito ou cru, marcha.

    ResponderEliminar
  17. Hummm...então que direi eu...sopa de feijão-frade!!!! Já comeste? Experimenta....e chora...lolololol

    ResponderEliminar
  18. No meu caso, podes acrescentar à sopa o arroz de tomate! Do pior! :s

    ResponderEliminar
  19. Fofinho,

    Oh céus! O teu calvário também é de bradar!! :S

    Enfant,

    Inteligente! ;)

    L.O.L.,

    Oh! Não desgosto. ;)

    Petra,

    O quê?! No-jen-to!! :-o

    Nokas,

    Nem sabes a sorte que tiveste. ;)

    Sofia,

    Risos... cada um com o seu quinhão de facto! :)

    Sutra,

    :)

    Su´h,

    É o que se consta por aqui... ;)

    Bem-vinda ao Roupa Prática! :)

    Sofia,

    Obrigada pelo convite. Se tiver um tempo quem sabe... :)

    Pusinko,

    Oh céus! Também tive esse quinhão com a minha avó, íscas. :-o

    M.,

    Risos... ;)

    Paulo,

    Podes crer que é! ;)

    Pipoca,

    :)

    Mona Lisa,

    Oh! É tão bom o teu trauma. :)

    NI,

    Moleirinha?! Nem sei o que é! :S
    Óleo de fígado, já é outra conversa. Também tive o meu quinhão disso. Raios! LOOL

    Desejo,

    Arroz marcha, mas tomate na salada e afins, nop! Porém, um dia destes post uma situação acerca do tomate... ;)

    BS of life,

    :)

    Inês,

    Bem-vinda ao clube! :)

    Lampâda,

    Engraçado, mas também o leite da escola também detestava. Tinha um sabor e cheiro, valha-me Deus! :S

    Bemsei,

    LOOL Não, obrigada! :)

    Bloguótico (Sacaninha),

    Risos... sem pele, marcha. O trauma é a pele do dito tomate. :P

    Beijos

    ResponderEliminar

"Eu não escrevo em português. Escrevo eu mesmo".♥ - Fernando Pessoa

A essência que queres partilhar comigo é?...