terça-feira, 25 de setembro de 2012

Comboio perfumado


Oiço nas notícias os aumentos dos combustíveis. Uma vergonha sem cabimento. Porque ter carro, andar nele, nos dias que correm, ou seja, a vida acelerada e preenchida que se leva, é praticamente impossível ser de outra forma. Porque temos que ser práticos. Porque mediante o sítio onde se trabalha e onde se tem que deixar os filhos (quem os tem), é praticamente uma ginástica imensa a ser feita, todos os dias.  E porque quer queiramos ou não, a vida, as rotinas se alteraram no quotidiano de cada um. E mais que a comodidade a ser realçada aqui - obviamente que tem o seu peso, e de que maneira - é a gestão do tempo. Pois parece que cada vez está mais é curto. Pois acordamos e, quando nos damos conta, já é de noite. Começamos a semana e quando damos por ela, já estamos no fim dela. Começamos o mês e, assim num ápice, estamos no final do mesmo. É de doidos, sim. Sem escrever, os aumentos que os transportes públicos levaram. Hoje em dia, fica quase ela por ela andar de carro ou de transportes. Porque também aqui, o tal quase, é a comodidade a ser paga. Isto porque tudo se paga neste país. Depois, temos outra situação. É que pagar avulso os bilhetes é um arrombo para a carteira das pessoas. Os passes, enfim, nem se escreve. Em suma, só voltando a andar a pé ou de bicicleta. Mas a questão da gestão do tempo, e a questão geográfica para onde as pessoas têm que se descolar no seu dia a dia impõe-se novamente.
Posto isto, inquestionavelmente não estava bem quando tomei a decisão de ir de comboio e não de carro para o meu destino. Isto porquê? Porque depressa senti o peso do fel amargo do mesmo.

Eram 10h00 e já havia pessoas a cheirar a suor, mau hálito e tudo inerente a maus cheiros, impressionante!! Este tipo de situação, para mim, é transcendente.
O meu estômago, logo começou às voltas antes de ingerir qualquer tipo de alimento, já que não consigo comer nada mal acorde. Azar o meu, eu sei. Mas o que querem? Não entra nada no estômago da Cinderela após o corpo danone sair dos seus aposentos. Só algum tempo depois. Tradução: quando o cérebro começa a funcionar. Enfim, tontices minhas (ou não), também sei.
Bom, chegada ao destino (não se precisa ser vidente para se adivinhar), estava com o estômago às voltas, o nariz irritado e uma neura daquelas. Oh sorte! É certo que me veio logo a sensação da falta de conforto do meu carro. Estar a ouvir música descontraída, assim como ir sozinha com os meus pensamentos e sem transtornos olfactivos e outras coisitas mais. Oh céus! Fosga-se mil vezes! Estonteante que de facto, por tudo isto e muito mais que não acrescentei, as más línguas ainda digam que ter carro é um luxo. Sei.

21 comentários:

  1. Infelizmente ainda há gente que não sente o seu próprio cheiro.

    Eu tenho um olfacto apurado, digo eu outros dizem-no sensível. Quase todos os cheiros me fazem confusão, desde bolachas a perfumes, e infelizmente para mim as viagens nos transportes públicos são comparadas a uma tortura chinesa.

    ResponderEliminar
  2. como te entendo..quando estudava, ia todos os dias de Bus pró Porto e aquilo irritava à seria. Era o sono + disposição das pessoas + cheiros + conversas + discussões.
    Ter carro acaba por ser luxo, mas se for bem controlado, quem pode claro, acaba por ser um bem essencial.
    E agora, não troco o meu carrinho por nada.

    ResponderEliminar
  3. Eu sou suspeita, sempre andei de transportes por ser, para mim, a opção mais barata mas tive sorte...porque trabalhava num horário fora das horas de ponta e como tal, havia pouco movimento e muito ar livre e espaço em redor.
    Mas sou tal e qual tu, fico possuida quando existem pessoas que não se dão conta do próprio mau cheiro, eu até entendo que transpirem, acontece a todos, uns mais, outros menos, já não se justifica é que a roupa e os seus usuários destilem o pivete uma vez que há para aí tanto por onde escolher para evitar isso.
    Ah, devias tomar o pequeno-almoço em casa, isso faz-te mal, tu sabes, à saúde e à carteira!
    Beijocas nossas ;)

    ResponderEliminar
  4. Olá. eu sabia conduzir, mas não queria tirar a carta. adorava andar de transportes ( que não estivessem cheios ) e agora adoro conduzir, mas como o meu carro está meio morto...lol e como não sinto segurança, não ando tanto com ele. Quando dou uma volta ao fim de semana, peço o carro da minha mãe ( igual ao meu ) e se for preciso no caminho, ponho-lhe gasolina e toca a passear. Mas no fim de semana, só gosto de passear por 3 horas, 4 horas, ir a Lousada e venho para casa. Quando vou para o Marco de Canaveses, aí levo o meu carro e vou devagar para lá e além disso, aprecio a paisagem. Sim, isso do mau hálito e suor é muito mau e aqui existem muitas pessoas que ás 7 horas já bebem no café...acho isso muito mau. beijos e um abraço

    ResponderEliminar
  5. Só acrescento que nos últimos anos a rede de transporte nos grandes centros urbanos melhorou... mas ainda estamos a anos luz de ficar minimamente aceitável. Muitas das vezes os transportes não estão coordenados... são caros... alguns são incomodos e pouco seguros!

    Já para não falar que toda esta má coordenação/gestão leva a que as pessoas não andem de transportes. A consequência disto é prejuízos, sobre prejuízos...

    Queria deixar a nota, que devemos ter sido das últimas capitais europeias a ter uma estação de metro no aeroporto da cidade... enfim! Há muito tempo que desejava que a rede de metro chegasse ao aeroporto.
    Mais vale tarde que nunca... já tive a necessidade de utilizar o metro e é bastante prático...

    beijo
    Sutra

    Nota:Fico feliz por mandar os "burlões/oportunistas" dos taxistas à fava (sei do que falo)!

    :)

    ResponderEliminar
  6. Sei muito bem o que isso é, estou habituada a andar em transportes públicos e de vez em quando lá vêm um ou outro cheiro e vejo cada coisa que dâ mesmo a volta ao estomago, eu não posso andar de carro, não tenho carta, mas pelos preços dos transportes públicos acho que hoje em dia quase que nem se dá pela diferença. Por isso se pudesse optava pelo carro. Sem dúvida.

    ResponderEliminar
  7. Eu levar o carro,até ao centro de Lisboa,não levo.Fica na estação de metro e depois apanho-o.Às horas que vou,ainda não há muita gente,mas lá de vez em quando já se sente um bafito sim....

    ResponderEliminar
  8. Um carro é (nos dias de hoje) um luxo mas há que ter muito estomago para andar de transportes e levar com esses cheiros todos... algo que não consigo entender.
    No meu ultimo trabalho eu tinha mesmo de levar o carro pois os transportes para a zona eram mesmo muito escassos. Mas eu tinha alguns colegas que ainda arriscavam ir de transportes... pois bem gastavam o mesmo dinheiro (pois foi-me dito por um colega o que ele gastava de passe para lá chegar) e demorava o dobro do tempo.
    Pois bem, luxo ou não foi o melhor que tive, foi o meu carrinho!

    Um beijinho carinhoso xxx

    ResponderEliminar

  9. Faço minhas as tuas palavras. Contudo, troco que carro com colegas e isso é uma grande ajuda para todas.
    Transportes,excepciomente. Já me desabiutei, mas quando tem que ser...

    :)

    ResponderEliminar
  10. nos tempos que correm não sei como as pessoas não evoluem e começam a ser mais limpinhas mais civilizadas....eu também já fiz a opção de andar de autocarro mas nem correu muito mal...

    ResponderEliminar
  11. Txiii pa eu não sei se aguentava....Estranhamente aqui nos Algarves, eu ia sempre no bus cheio de estudantes e vá lá que eles tomavam o seu banhinho todas as manhas!

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  12. Desde sempre que ando de transportes e desde sempre que me lembro dos odores que "esvoaçam" num espaço tão pequeno.

    ResponderEliminar
  13. sou alergia a cheiro de suor e peúgas
    kis :=)

    ResponderEliminar
  14. Credo! Um bom truque para isso é levar um frasquinho de perfume e passar um bocadinho nas narinas: isola logo os outros cheiros, penso eu de que...
    Beijinhos,
    Madalena

    ResponderEliminar
  15. Leitor,

    Assim sendo, quanto aos cheiros, somos dois! ;)

    Palavra,

    Imagino que sim. Porque quando nos habituamos a determinada coisa, difícil é largar. :)

    Karochinha,

    E tomo o pequeno-almoço em casa na maioria das vezes. Há excepções à regra e aqui, nesta, foi uma delas. Gosto mesmo de tomar em casa o meu pequeno-almoço. Gosto de estar no sofá a ler o jornal ou a ouvir as notícias enquanto estou a papar. Ou então enquanto estou na net. Gosto da tranquilidade do meu lar. Aliás, fiz um post a relatar este meu hábito e prazer. ;)

    Sutra,

    Pegando no ponto da segurança, é lamentável que as pessoas quando chegam às 20h00, têm medo de vir de comboio. Por exemplo, na linha de Sintra. É lamentável, porque de facto isso condiciona e muito a vida, hábitos e toda uma gestão das pessoas. E isto se deve porquê? Pelos assaltos que são feitos à descarada. Os bandos de miúdos que andam para amedrontar quem está no seu canto. Um horror, não nos sentirmos seguros. :S

    A nota que deixaste dos taxistas e afins, ui, são uma cambada de vigaristas e oportunistas, livra!

    Maria,

    Vá, vamos a juntar uns trocos para tirar a carta. Verás que é uma independência brutal! ;)

    Mamã,

    Fazes bem. Temos que procurar o nosso melhor. E andar por Lisboa, de facto, é um verdadeiro caos! :S

    O Sexo e a Idade,

    Ora nem mais! :D

    Paula,

    Olha que nos dias que correm, com os aumentos que têm praticado também com os transportes públicos, não sei se é um luxo andar de carro. Vendo assim, andar de transportes também. Há que se passar andar a pé. Assim como assim, economiza-se. ;)

    desejo,

    Boa! Já ouvi na televisão essa prática e acho uma excelente ideia. ;)

    S*,

    Risos

    Estrela,

    É ela por ela, quase. :)

    Pretty,

    É dos ares (risos).

    Inês,

    Portanto, sabes perfeitamente do que escrevo. :D

    Avogi,

    Quem não é? ;)

    M.,

    Humm... não sei se essa táctica não fazia o efeito contrário. :S

    Kiss

    ResponderEliminar
  16. Ups, não me lembro, devo ter ido de férias nesse post...eheh!
    Beijocas nossas ;)

    ResponderEliminar
  17. Pois, eu até juntava uns trocos, mas já chumbei três vezes na condução ( porque sou muito nervosa) e neste momento ainda não me sinto "capaz" de tentar outra vez.
    Mas que deve ser uma independência muito grande, deve mesmo. :)

    ResponderEliminar
  18. Karochinha,

    Foi o que pensei quando li o teu comment. ;)

    Maria,

    O problema disto tudo provavelmente são os nervos, a ansiedade. Tens que tomar um calmante fraco para ficares mais relaxada, descontraída e verás que tudo correrá pela feição. Porém, o importante é não desistir. ;)

    ResponderEliminar
  19. Eu ando de transportes públicos (não tenho orçamento para um carro e tudo o que o dito implica) e habituei-me a relativizar o que referes, senão já me tinha atirado da ponte 25 de Abril há muito tempo! :-)

    ResponderEliminar

"Eu não escrevo em português. Escrevo eu mesmo".♥ - Fernando Pessoa

A essência que queres partilhar comigo é?...