segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Humanos vs Animais

Se há tema que me suscita algo inexplicável, é filhos vs animais. E porquê? Porque fico doida quando leio ou quando oiço comparações entre os mesmos. Tal como, quando as pessoas chamam os bichos de filhos. Transcende-me, francamente, tal comparação. Porque na minha infância já tive bichos. Aliás, fui criada com eles numa fase em que a minha mãe, no quintal, fez uma mini quinta. Ali existiam, galinhas, galos, porcos, patos e coelhos. Nós, crianças, não satisfeitos, ainda fomos buscar uma gata, a Fifi, e um cão, pastor alemão, o Gringo. Portanto, uma festa pegada. Em suma, sim, sei o que é lidar com animais. Sei o que é ter amor aos bichos (quando o meu Gringo foi embora, chorei baba e ranho, juntamente com o meu irmão), oh, como sei... e é por isso mesmo que não entendo a comparação que é feita. Pois se antes de ser mãe já sentia esse algo inexplicável, depois de sê-lo, eis que tudo ganhou uma dimensão imensa. Ora, um cão ou um gato não é um filho! Por mais apego que tenhamos aos animais. Por mais amor que tenhamos para lhes dar, e é bom que seja dado, ou por mais amor que o bicho e apego tenha ao dono, é um animal. Sabemos como os animais, quando bem tratados, nos são imensamente fiéis e têm uma excelente capacidade de nos fazerem sentir acarinhados, seja através de um rabo a abanar ou de uma lambidela na mão. Mas o conteúdo desse carinho acaba aí. Há quem diga que a alguns animais só lhes falta falar. Pode ser verdade. Mas também é verdade que é aqui que residem as grandes diferenças.
Gostam das festas que o vosso cão faz quando chegam a casa? Eu prefiro um abraço da minha Zunfinha. Gostam que o vosso gato se aninhe no vosso colo? Eu prefiro uma festa no rosto e ouvir um "Mamã, amo-te muito!" Compreendo que certas pessoas vejam nos animais uma óptima companhia, percebo perfeitamente que algumas desilusões possam trazer descrença e desprezo pelas relações humanas e que conduzam ao isolamento, mas porra não me lixem! Nada se compara ao amor de um filho e ao que crescemos ao vê-los crescer. Os animais podem ser excelentes companhias sem precisarem de fazer muito, podem transmitir mais amor que muitos seres humanos e podem colmatar muitos vazios. Mas não se compara...

26 comentários:

  1. Os animais devem ter o seu espaço nas nossas vidas, assim como cada ser humano que nos rodeia. Também não entendo porque beijam os animais na boca, dormem com eles na cama, comem à mesa como se fossem pessoas...


    beijo
    Sutra
    P.S.: Quando falas-te dos animais que tiveste lembrei-me disto...

    "...Lá em casa tinha um viado, lá em casa tinha um viado,
    E o viado ai ai, a moça oh!, o boi múún, a vaca móôn, o bode bééh, e a cabra méééh, e o cachorro au au,
    O gato miau, e o capote: tô fraco, e peru glu glu, e o galo corococó, e a galinha có, e o pintinho piu,
    E o pintinho, e o pintinho piu, e o pintinho piu..."

    :D

    ResponderEliminar
  2. Por acaso (ou não) conheço pessoas, algumas sós, outras casadas (sem filhos) que tratam os animais assim...é que à falta de um Amor destes que nós temos o privilégio de sentir e ter, essas pessoas atribuem-no aos seus animais, acho que é mais por aí, apesar de também não compreendr se tal acontece numa situação em que se tenha mesmo filhos...isso não compreendo mesmo.
    Beijocas nossas ;)

    ResponderEliminar
  3. Pois, também não entendo essa comparaçõa...gosto de animais, mas um amor de uma criança (aqui fala-se de filhos, mas como não os tenho, falo em geral porque tenho sobrinhos) é muito maior do que o de um animal possa ser.
    E não sou contra animais, apenas não entendo certas pessoas que acham o contrário...

    ResponderEliminar

  4. Adoro brincar com a minha gata, não permito que ela durma no meu quarto (à noite, deixo-a entrar enquanto visto o pijama, e ela sabe quando vou dormir, logo sai do quarto), mas animal é companheiro, filho ou familiar é sangue é vida.
    Não há comparação, mesmo.


    :)

    ResponderEliminar
  5. Concordo contigo. Aliás, eu adoro animais e tal como tu também fui criada com vários. Mas acho que determinadas relações com animais não são saudáveis.
    Vejo pessoas a não dormirem por causa do animal, a chorarem baba e ranho porque o animal vai ser operado, etc. É um animal e criamos laços, mas é um animal, não é uma pessoa. Muito menos um bebé.

    ResponderEliminar
  6. Apesar de não ter filhos e de já ter tido alguns cães quando era miúda, também não consigo entender essa comparação. Um animal é sempre um animal, por muito amor que se lhe possa ter. Tal como já foi dito noutros comentários, faz-me muita confusão ver os animais na cama dos donos, beijos na boca e coisas do género.

    ResponderEliminar
  7. Concordo inteiramente contigo. Também tive animais e apesar de os adorar nada se compara aos abraços e beijinhos do meu filho.

    ResponderEliminar
  8. Eu não tenho filhos, mas posso te dizer q Amo a minha Dita e trato-a como se fosse parte de mim. As vezes digo que so me faltou pari-la! Haha...podem ser amores diferentes mas acredito q sejam ambos grandes e verdadeiros. Se algo acontecesse a minha menina acredito q fosse sofrer muito muito, assim como sofri como quando perdi a minha avozinha q tanto amo.

    Mas sao viveres e formas de sentir diferentes. Cada um ama como am, logo sente como sente. =)

    Beijinhoooo

    ResponderEliminar
  9. Olá. é mesmo verdade. quando tinhamos o pincher, a minha mãe dizia que tinha ciúmes do cão. dizia ao meu pai " gostas mais do cão do que de mim ". O meu Pai gosta de animais e passou a gostar mais ainda quando o meu falecido avô lhe disse " Rogério, agora as rolas ficam a seu cargo " e o meu Pai adorava as rolas. Quando veio o cão pequenino, o meu pai parecia uma criança. Por vezes exagerava na atenção que dava ao cão.. mas sim, existem pessoas que não têm filhos ou mesmo que têm filhos que tratam os cães por filhos. mas é bom ter um animal em casa. beijos . espero que tu e Zunfinha se encontrem bem. boa semana de aulas para a tua filha e um bom trabalho para ti.

    ResponderEliminar
  10. Cada macaco no seu gato.É óbvio que não se compara,mas eu adoro o meu gato de uma forma que muita gente não compreende.Da mesma forma como eu não compreendo a maldade com que muitas das vezes eles são tratados.E acredita,que gosto mesmo mais de animais do que de algumas pessoas,sem pensar duas vezes.São muito mais honestos.Mas de facto,o amor não é comparável não senhora,se bem que um animal,mesmo em silêncio tem muito para dar...agora,essa coisa de dar beijos aos bicho....blaacc....eu não dou beijos ao meu gato,até porque ele tem um bafo de bode,que eu caía logo redonda no chão....

    ResponderEliminar
  11. Conheço quem trate melhor os animais que pessoas de familia... e tudo isso também me transcede!
    Por isso é que uns são ANIMAIS e outros PESSOAS!

    Haja pachorra!

    Beijo doce ***

    ResponderEliminar
  12. Adoro a minha cadela (sou toda mimos com ela) mas esa comparação é realmente ridicula. Eu até percebo onde se quer chegar mas não tem comparação possivel, o vinculo que se cria é completamente diferente e as expectativas também. Pessoalmente até acho esse tipo de comparação doentia, quer seja com os filhos ou tratar um animal como se fosse um humano (acho desrespeitoso para com o animal). E não é só a comparação com os filhos, já ouvi alguém dizer que se tivesse de ser entre o cão e o marido não sabia qual escolher (really?!!!!).

    ResponderEliminar
  13. Onde escrevi ser deveria ter escrito escolher. É o que dá escrever à pressa...

    ResponderEliminar
  14. Chamar os animais de filhos não é querer compará-los a crianças. Eu digo às minhas gatas "anda à mamã" porque as adoro, porque as protejo, porque elas são importantes para mim. Isso não significa que as queira comparar a crianças, apenas que gosto delas.

    ResponderEliminar
  15. Nem imagino uma comparação possível. Ainda não sou mãe, gosto muito de animais mas uma comparação dessas já me é impossível.

    ResponderEliminar
  16. Como me compreendes. :-)
    Obrigado pelo post pois escreveste aquilo que me vai na alma ;-)

    ResponderEliminar
  17. Mesmo não sendo mãe concordo contigo...Nem compreendo como alguém possa fazer esse tipo de comparação!

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  18. Não tenho filhos, mas isso faz-me uma confusão enorme.
    Não entendo, simplesmente não entendo, é algo que me ultrapassa.

    ResponderEliminar
  19. Sutra,

    Bom acrescento ao tema. Quanto à música, fiquei fã. :P

    Karochinha,

    Pois. Temos várias situações. Porém, realço esta: as que de facto não querem (e estão no seu direito), ter filhos e optam por ter um animal. Para colmatar ou não o que quer que seja. O certo é que canalizam o seu amor para aquele ser. Isso tudo é aceitável e tudo mais. até porque cada um sabe de si. Agora, o que de facto faz-me espécie como boa observadora que sou e porque gosto de pensar e questionar para obter respostas no que me rodeia na sociedade e não só, é o facto das tais pessoas que não querem ter filhos, mas por outro lado, não se inibem de chamar filhos aos bichos. E até intitulam-se mães dos mesmos. Pois, se chama filhos, é normal. No entanto, é lógico que a pergunta se impõe: Mas o que me está aqui a escapar? ;)

    Palavra,

    São as crianças no geral. Citei filhos porque sou mãe e foi-me mais fácil escrever o texto. :)

    desejo,

    Tocaste um ponto importantíssimo: "animal é companheiro, filho ou familiar é sangue é vida." - Ora nem mais! :D

    O Blog da S.,

    De facto, há pessoas que não conseguem ter relações saudáveis. Tanto com animais como com pessoas. :S

    Ana,

    Sim, o facto de não teres filhos, não te impede de teres essa opinião (ou outra). Eu por exemplo, tal como mencionei no post, antes de ser mãe já questionava coisas que via e ouvia, depois de ser, obviamente que tudo ganhou outras proporções. ;)

    Maria,

    :D

    Li,

    Aqui não está em questão o amor que se sente, mas sim alguns comportamentos. :)

    apenas umas palavras,

    É bom ter um animal em casa, concordo mas, desde que haja condições para o tê-lo e, medir os seus actos. Pois como disse, vê-se tanta coisa por aí... :)

    Mamã,

    Risos... bafo de bode, gostei! :)
    Acredito que existem pessoas que sabem ter as tais relações saudáveis. Isto se aplica para pessoas como para animais. Assim como as que não sabem. Isto é um facto. :)

    Vee,

    Se achas a comparação ridícula só de imaginar tal situação. Agora imagina o ridículo em ver tal cenário. Porque de facto há pessoas que fazem isto e muito mais com os seus animais, sim! :)

    S*,

    Desculpa, mas inevitavelmente, quando se chama filho se está a comparar. Mesmo que a intenção não seja propriamente essa, mas faz-se. Obviamente que a intenção de cada um para determinado comportamento, só essa pessoa saberá descortinar. Assim como acabaste de fazer. :)

    Vera,

    Pois. ;)

    Yellow,

    Nada a agradecer. É sempre um prazer partilhar convosco o que me vai aqui. Eu é que tenho que agradecer o vosso feedback. :)

    Pretty,

    ;)

    Inês,

    Pois. ;)

    Kiss

    ResponderEliminar
  20. Pois Essência, quando o sentimento ultrapassa a minha linha do razoável e do que é chamado de "normal" também não entendo, sou franca, também fui criada com animais, como tu, sempre os tive e sofri muito quando alguns morreram, mais do que a pessoas da minha família mas só isso, não os posso comparar sequer com um filho, não posso, não quero e nem consigo. São as tais transferências de sentimentos que as pessoas sem se darem conta, muitas vezes, passam para os animais quando podiam perfeitamente colocar cada macaco no seu galho.
    Beijocas nossas ;)

    ResponderEliminar
  21. Dizerem "anda cá à mamã"é simplesmente asqueroso,então quando tiverem filhos vão dizer o quê?"anda cá à dona?"

    ResponderEliminar
  22. Concordo plenamente contigo.
    Eu fui mãe aos 23 anos, nessa altura antes de engravidar nem pensava no bom que é ouvir a minha princesa a chamar-me mãe.
    Nunca tive um animal em casa, mas gostava, mas não tenho condições para isso. Mas nunca comparava um animal a minha pequena, ela é tudo para mim, e sabe tão bem quando acorda dar-me um beijinho, e um xi-coração que não tem explicação. gostei muito do teu blog. visita o meu se quiseres e sobre produtos da yves rocher.
    Beijinhos e Parabéns pelo blog

    ResponderEliminar
  23. A minha essência, desculpa mas não é estar a comparar. Sendo que eu o faço, desculpa mas eu é que sei o significado do que quero dizer quando o faço. Tirares conclusões de algo que eu faço não me parece muito válido... só eu é que sei. Eu e quem o faz. :)

    ResponderEliminar
  24. Karochinha,

    :D

    conceicaobarreta,

    Quem sabe...

    S*,

    Risos, S*, mas foi isso exactamente que disse. Ora lê! " Obviamente que a intenção de cada um para determinado comportamento, só essa pessoa saberá descortinar. Assim como acabaste de fazer. :)" - Vês? Vai exactamente ao encontro do que acabaste de escrever. Porém, não invalida também de ter a minha opinião sobre o tema e expressá-lo, como fiz. ;)

    ResponderEliminar
  25. Madalena,

    Desculpa só responder agora, mas o teu comentário estava no spam. :S

    Sim, nada como vivermos na primeira pessoa as vivências boas da vida.

    Obrigada. Visitarei o teu blog. ;)

    ResponderEliminar
  26. Não tenho filhos, nem planos para os ter, tenho um gato, que é parte da minha vida. E, digo-te, trato melhor o gato que muitas pessoas tratam os filhos. E falo com conhecimento.

    Não critico a tua opinião, nem de quem tem postura contrária, cada um sabe de si e vive a vida como quer (ou pode).

    Mas eu prefiro a companhia dos animais, porque cansei-me de 'lamber feridas' por causa das pessoas.

    ResponderEliminar

"Eu não escrevo em português. Escrevo eu mesmo".♥ - Fernando Pessoa

A essência que queres partilhar comigo é?...