quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Nesta crise, enquanto continuar a existir o rico e o pobre, não haverá luz ao fundo do túnel.


Por estes últimos dias, tenho andado a pensar em escrever um post sobre tudo o que se tem ouvido e visto por este país a fora sobre a mais eloquente palavra dos últimos tempos, austeridade. Palavrada essa que até a minha Zunfinha já sabe o significado. No entanto, em vez de escrever um post extenso com não sei quantos caracteres com tudo o que me vai na alma, opto basicamente por escrever isto:

O que mais custa não é pedirem os sacrifícios, mas sim não darem o exemplo. Oh Céus!! Senhores políticos, trabalhem com o ordenado mínimo e aí sim, é que se podem pôr na pele da grande massa que efectivamente vive com essa realidade. Não basta somente falar sem conhecimento efectivo de causa. A credibilidade nunca, em tempo algum será a mesma. Quando o contrário acontecer, aí sim, haverá esperança de que lutamos todos pelo mesmo. Estaremos concerteza todos, em pé de igualdade. 

12 comentários:

  1. És uma utópica... pensava que eu era a última da espécie.

    Bem hajas.

    Beijos sonhadores!


    (para ti: http://www.youtube.com/watch?v=M1NIXgjNXDk )

    ResponderEliminar
  2. penso o mesmo que tu... beijinhos e nao desistas dos sonhos ainda é cedo e o futuro a deus pertence mas acho que ele vai poupar quem muito sofre com o mal dos outros.

    ResponderEliminar
  3. Concordo, não sei onde isto vai parar...

    ResponderEliminar
  4. Ora, nem mais. E isso era uma coisa que me dava imenso gozo ver, esses senhores a sobreviverem todos os meses apenas com 397€, era lindo.

    ResponderEliminar
  5. Infelizmente isso nunca vai acontecer e a esperança é cada vez menor :(

    ResponderEliminar
  6. Tenho de discordar de uma questão meramente semântica, mas que para mim diz tudo. Eles não são "senhores", nem merecem, em tempo algum tal "título", seja a que nível for!

    ResponderEliminar
  7. Acho o mesmo. E cada vez mais há os super-ricos (pouquinhos, pouquinhos) e os miseravelmente pobres (imensos).
    Isto de ser 3º mundo sem clima tropical não acho nada bem (ao menos o calorzinho sempre animava).

    ResponderEliminar
  8. Penso exactamente o mesmo.
    Se o exemplo viesse de cima, não só a conversa era outra, como a austeridade também era.Mas não...é continuar ver um estado obeso e estupidamente depesista.Só os orçamentos dos ministérios assustam
    Este assunto dá-me uma comichão...

    ResponderEliminar
  9. Seria o primeiro exemplo a darem ao povo.
    Seria o mias justo, mas ele não têm a "ousadia" de o fazer.

    :)

    ResponderEliminar
  10. Penso exactamente do mesmo modo!
    Estes políticos não sabem o que custa a vida...
    Desta maneira (aumento insustentável de impostos) qualquer um consegue governar!!! Cortar nas ditas "gorduras" é que não fazem... é que isso mexe com muitos interesses

    ResponderEliminar
  11. A igualdade entre rico e pobre chama-se... classe média! E essa já não existe...

    beijo
    Sutra

    ResponderEliminar
  12. Afrodite,

    Não quero deixar de ser, acredita. ;)

    OutraMaria,

    Ando numa luta para não desistir, de sonhar... ;)

    O blog da S.,

    :D

    Maria,

    Seria memorável... ;)

    Angie,

    Pois... ;)

    Enfant,

    Risos ;)

    Vee,

    Essa do calor assino em baixo. ;)

    Inês,

    Às duas então.Talvez por isso que não fale aqui sobre e quando o fiz, com este post foi assim, muito abreviado. ;)

    desejo,

    Não porque aí iriam sentir o que a grande maioria sente, os bolsos vazios. Noites sem dormir a pensar como vão comer e afins... ;)

    www. pink.puk.com,

    Ora nem mais! Mexeriam em coisas que nem nos passa pela mente... ;)

    Sutra,

    Oi! Aindo essa classe vai. Olha, pela ribanceira a baixo! ;)

    Kiss

    ResponderEliminar

"Eu não escrevo em português. Escrevo eu mesmo".♥ - Fernando Pessoa

A essência que queres partilhar comigo é?...