domingo, 25 de março de 2012

Só eu sei, como não queria ter escrito este post. Só eu sei...


Sou uma mãe que tento passar os valores que acredito e que acho que sejam necessários para o crescimento e desenvolvimento da minha filha. Sei que tenho ideias muito próprias. Sei que sou de extremos. Sei que tenho um feitio muito peculiar mas, também sei, que quem me souber levar, tem tudo de mim. Também sei que quando ralho e estou zangada, também faço passar a mensagem explicando por A mais B do porquê do meu estado. Não gosto e não deixo ninguém na ignorância. Assim como também sei dos meus limites. Sei da minha paciência e hoje, chegou no topo.

A Zunfinha sempre foi uma criança que sempre cuidou do que é seu. Sempre foi organizada, porque efectivamente é isso que ela tem à volta dela. O espaço dela (quarto), assim como a casa onde mora, também é assim! Mas, de há um tempo para cá, tenho notado que ela tem tido tendência a copiar os amigos/primos mais velhos. Porque sim, (in)felizmente, a Zunfinha se dá com crianças mais velhas (tirando os meninos da salinha dela da escola), tudo o resto é mais velho. Os primos, a grande maioria, são mais velhos que ela, todos acima dos 8 anos e, pensando que não, para uma criança de 5 anos, faz toda a diferença. Porque quer se equiparar aos demais. Não quer e não gosta de ficar para trás. Logo, a tendência dela, é imitar o bom e principalmente o mau. A linguagem, os gestos, as manias e etc... depois cabe-me a mim, estar atenta para corrigir e fazer-lhe ver que nem tudo o que se vê nos outros temos que fazer igual. Ela, encaixa e até sabe que é errado mas depois quando está com eles, faz. E por vezes em casa faz, mas lá depressa se lembra que é errado e diz-me «mamã isto e aquilo não se faz pois não? É errado, não é?» Ou seja, anda aqui numa luta constante com ela. Mas eu não posso descurar e relaxar, não!
Há dois primos que ela gosta muito, mas são bem mais velhinhos que ela. Um tem 11 anos e outra tem 13 anos. São crianças que passaram por muito e como tal, são crianças muito peculiares...
A forma que a menina de 13 anos tem para brincar no quarto dela é o caos. É o estragar, desarrumar e outras coisas que tais. A Zunfinha vê aquilo e acha que é o certo. Tanto é, que começou a fazer o mesmo no quarto dela. Já estou cansada de explicar que não é assim que se brinca, que se trata os brinquedos. Ela ouve. Nos dias que não está com a prima, está bem, mas depois, quando convive novamente com ela, tudo volta ao mesmo. Já pensei em não facilitar a convivência da Zunfinha com eles, mas não é possível. São os primos. São pessoas que ela gosta, e não é esse o caminho. É mais fácil, mas não o mais correcto. Como tal, já tirei daí o sentido. Porém, fico doida! Estou cansada deste reme-reme. Estou farta de zangar-me com a Zunfinha por isto. Tem sido uma luta constante. Já estou cansada de lhe dizer que qualquer dia ela fica com o quarto vazio, porque tudo o que ela tem no quarto vai para o lixo! Ela fica em sentido na altura mas depois lhe passa...
Desde Sexta-feira que anda para arrumar o quarto dela. Ontem não saímos porque ela não o arrumou. Depois eu também não a ajudo! Porque acho que ela tem que saber o que custa. Já que desarrumou sozinha, agora terá que arrumá-lo sozinha também. Fazemos braço de ferro neste sentido, eu sei. Ela quer levar a dela avante não arrumando e eu, acho que ela tem que arrumá-lo, sozinha. Hoje é Domingo, o quarto ainda estava na mesma. Disse-lhe que se até à hora do almoço não tivesse arrumado que ia tudo para fora do quarto. Pensou que estava a brincar, tanto é que andou a brincar... andou a desenhar... arrumar que é bom, nada! Quando chegou a hora de a chamar para ir comer, o quarto estava na mesma. Passei-me. Para não lhe dar umas valentes palmadas, e porque ela tem que aprender e sentir na pele, que nem tudo pode ser como ela quer, e acima de tudo, tem que ouvir o que lhe digo, e não tentar levar-me ao limite (como fez), que vai conseguir o que quer. Posto isto, agarrei em não-sei-quantos sacos do lixo e toca de pôr tudo dentro deles. Mas tudo! Brinquedos, molduras, tudo! O quarto neste momento se resume à cama, ao sofá, à cómoda e mais nada. 
Chorou, esperneou... tentou demover-me mas, de coração apertadinho, e a conter-me para não chorar ao pé dela, não cedi. Estou a ser má, talvez. Estou a ser radical, pode ser que sim. Mas, mais vale cortar o mal pela raiz agora. Ficar com o coração apertado. Chorar, como estou a fazer enquanto escrevo este maldito texto. As lágrimas não param de escorrer, porque sei que ela está neste momento triste comigo, a chorar em cima da cama, mas não quero chorar daqui a uns anos, quando ela for crescida, não.

30 comentários:

  1. Essência, apesar da tristeza que sentes em tomares essa atitude, penso que foi certa.
    As crianças apanham com facilidade as nossas fraquezas e flexibilidades.
    Ela vai perceber que tu és a mãe e que tem de te obedecer.
    Tu sabes que nós, em crianças, eramos obedientes, quase não tínhamos direito a resmungar.
    Deixa-a conviver com os mais velhos, não podes de todo impedi-lo, nem seria bom evitá-lo.
    Desarrumar o quarto faz parte da brincadeira delas. O que deves fazer é recomendar a arrumação quando ela e os primos ou amigas deixem de brincar.
    Sei quanto custa educar.
    Para felicidade futura da Zunfinha, as lágrimas que te caem dos olhos não são de arrependimento mas de amargura por não conseguires que ela tivesse cumprido a tarefa.
    O choro da Zunfinha, por mais que te magoe, fá-la-á entender que tu és a mãe mais linda do mundo, que a amas, mas que castiga e a quem ela deve obedecer.
    Não te arrependas. A Zunfinha ama-te muito.

    :) desejo

    ResponderEliminar
  2. Compreendo a tua atitude e bem sabemos que as crianças, pelo menos algumas delas são difíceis de educar. A própria idade e companhias influenciam muito e quem é mãe é lógico que tenta fazer o melhor para a educação do seu filho.
    Penso que agiste bem com ela, avisaste varias vezes para arrumar o seu quarto mas ela fez tudo menos isso, desobedecendo-te. Mas colocar tudo no lixo de facto é muito radical, o mais que poderias fazer era guardar por uns tempos os brinquedos (sem ela saber) e mais tarde devolver e fazer-lhe ver as coisas como elas são e se ela numa próxima vez não obedecer, garantes que vai tudinho para o lixo e não haverá volta a dar.

    ResponderEliminar
  3. O que estás a passar é perfeitamente normal. Só não o é para aqueles pais que preferem deixar os miúdos fazer tudo à maneira deles e se demitem de ser pais. É terrível termos que chegar ao ponto do castigo e às vezes até uma palmadinha nas almofadas traseiras. Também prefiro o castigo às palmadas. Faz parte do percurso para estabelecer normas e marcar limites que que vão ser importantíssimos no crescimento. Ainda assim, não esperes que ela deixe de continuar a fazer braço de ferro contigo noutras coisas. E se for uma luta para vencer por cansaço, eles ganham sempre. Custa vê-los chorar, mas tem que ser.
    Em qualquer caso, não pondo em causa o teor do castigo, cabe-nos a nós termos limites equilibrados, mesmo quando no calor das situações estamos mais a ferver. Talvez ires com os sacos na mão tivesse sido o suficiente desta vez(ou não). E agora estariam as duas mais sossegado.

    ResponderEliminar
  4. Já está tudo bem por aí, decerto! E sei que os sacos devem estar aí, não os deitaste fora, pois não?
    ;)
    Beijocas grandes, lindas meninas!
    Madalena

    ResponderEliminar
  5. Educar é mto difícil... Passo por isso sempre. Aqui na escola da minha filha ensinaram-me a fazer "combinados" - se não arruma o quarto após brincar, não vê tv, ou não brinca no computador, etc. E depois de muiiiiiitos esforços, deu certo. Boa sorte a vcs duas. Bjos

    ResponderEliminar
  6. Só me vem uma coisa à cabeça: És uma desnaturada! Pensei em escrever és uma "besta insensível"... mas como não me irias levar a sério achei que não valia a pena!
    Pois é... às vezes a vida é tramada... a fedelhita teve hoje uma grande lição!
    Sem dúvida que para mim é uma surpresa esse lado dela, pois nunca o vi, a ultima vez que aí estive, fizemos o puzzle e mal acabamos de fazer, mandaste arrumar e ela mesmo depois "do trabalho" de montar... arrumou logo!
    Ela precisa de saber quem manda, e que deve obedecer à Mãe e ao Pai, e quando se lembrar das consequências não vai arriscar outra vez! Mas não deixas de ser uma bruta! :) Beijocas

    ResponderEliminar
  7. Olha... vai buscar os sacos e entrega-lhos com a condição de os arrumar de imediato!
    Eles precisam de saber que há limites para tudo e isso só aprendem com o tempo e com umas ensinadelas valentes!
    Agora é a tua vez de cederes... com essa condição.

    Muitos beijinhos.

    ResponderEliminar
  8. Eu sei como estás porque também já tive que passar por isso. Aliás, a minha filhota mais nova ainda na passada semana levou com um castigo onde mais lhe "dói": sem computador durante dois meses.

    Nnguém nasce a saber ser mãe, vamos aprendendo com os nossos próprios erros. O importante é transmitir os princípios e valores em que acreditámos e estabelecer limites. Antes de sermos amigas dos nossos filhos somos mães e não os ajudámos se nos esquecermos do nosso papel.

    Longe de mim dar conselhos ou intrometer-me na educação que cada um entende adoptar com os seus filhos, mas tenho a certeza que não levarás a mal se disser o seguinte: com o tempo vais conseguir encontrar um equilíbrio. É que atendendo à idade dela era capaz de adoptar a solução avançada pela Paula que me parece mais adequada para a idade dela.

    Por exemplo era capaz daqui a uns dias de lhe dar um saco e dizer qualquer coisa como isto: "tens aqui o 1º saco. Se arrumares em condições as coisas que estão lá dentro e as manteres assim por uns tempos dou-te o 2º mas se assim não for retiro de vez e entrego a uma instituição. Vou confiar em ti e manter essa confiança só depende de ti". Seria provavelmente o que faria mas em tua casa e na educação da tua filha mandas tu.

    E anima-te porque estás apenas a fazer o que te compete como mãe e mais tarde a Zunfinha vai entender e agradecer.

    Beijo enorme

    ResponderEliminar
  9. Muita calma e respira fundo.Eles esticam a corda e muito.Levam-nos ao limite.Mas têm que perceber que há regras e quem é que manda.Nós somos amigas mas somos primeiro mães.E isso significa,entre muitas coisas,educar.Fizeste bem,em ser hoje uma mãe "generala",amanhã serás uma mãe do amor.Bjs

    ResponderEliminar
  10. Dificil educar os filho, porque quando tentamos impor, muitas vezes sem exito, o certo, nos corta o coração quando eles fazem birra, choram, mas no final, vale a pena.
    bjs

    ResponderEliminar
  11. Sim custa muito. muito mesmo, mas os limites têm que ser definidos. Se choras é porque gostas dela, se choras é porque te custa vê-la sofrer, se choras é porque a amas incodicionalmente e queres que ela seja uma menina organizada e responsável, queres a educar à tua maneira, agora ela também irá arranjar uma maneira para recuperar as suas coisas e isso só lhe faz é bem, aprende a frustração, aprende a negociar e aprende que na vida há consequências dos nossos actos

    ResponderEliminar
  12. É em alturas como esta que começo a ver como deve ser difícil ser mãe. Por vezes, enquanto filhos, só vemos o nosso lado e ignoramos o lado dos nossos pais. Fizeste-me recordar a minha infância e pensar na quantidade de vezes que os meus pais se devem ter sentido assim, mas foi graças ao facto de terem feito esse tipo de coisas que fizeram com que eu fosse a pessoa que sou hoje. Por isso, apesar de te estar a custar muito agora, pensa que um dia tudo valerá a pena e que ela irá compreender. No fundo, penso que ela já compreende que isso só aconteceu porque ela não levou a sério o que lhe tinhas dito e ao ver que tu cumpriste com a tua palavra certamente, numa próxima (e esperemos que não haja próxima), ela levará a sério e fará o que é certo :)

    Um beijinho e um abraço para que te faça sentir um pouco melhor :)

    ResponderEliminar
  13. Não acho que tenhas feito mal, mais vale doer assim, do que uma lapada que dói durante minutos e depois passa.
    Custa, imagino que sim, mas também lhe mostras o correcto. E nessas idades, cruciais, é essencial.

    Beijinho pra ti * espero que hoje as coisas estejam bem.

    ResponderEliminar
  14. Antes de mais, agradeço as vossas palavras. São sempre um doce para comigo. :)

    Hoje as coisas já estão mais calmas. Eu estou mais calma. A Zunfinha, algumas horas depois ontem, já estava como se nada fosse. Criança... e, porque também sabe que agora ralho, mas depois dou miminhos.

    Ontem mesmo, depois de arrumar tudo em sacos, o quarto ficar vazio, somente com as coisas que mencionei no post e depois de ir um pouco para a varanda apanhar ar, fui conversar com ela. Expliquei que as consequências do acto dela deram o resultado do quarto ficar vazio. Expliquei que ela terá que merecer tudo de volta e, que efectivamente não pode querer fazer as coisas à maneira dela, assim como não pode copiar as outras crianças só porque sim. Principalmente depois de lhe explicar que o que ela está a copiar, é errado!
    Ouviu, ficou a pensar, mas depois lá depressa era como se nada fosse. Sempre preocupada quando estava mais calada, vinha fazer festinhas e beijinhos e abracinhos, mas depois cantava, dançava... também, não tinha os brinquedos. O que vale, é que é uma criança que se entretêm com qualquer coisa. Ainda não obteve de facto as consequências. Mas terá.

    Hoje, assim que acordou no quarto vazio, veio ter comigo e disse «mamã, o quarto está vazio» eu, pois está bebé. Por isto, isto e aquilo. Minutos de silêncio foram quebrados com «mamã, eu vou portar-me bem para ter as coisas no quarto e prometo que não volto a ser malcriada» vamos a ver bebé como corre daqui para a frente...

    Sim, as coisas dela estão em sacos de lixo mas estão na arrecadação.
    Não, não pus no lixo e nem era essa a minha intenção. Mas foi a que lhe quis passar, como foi feito. E por consequência disso, foi essa mensagem que passei no post. Porque efectivamente somente passei a mensagem que queria passar a ela. As minhas reais intenções não lhe disse e acabei por não descrever aqui no post. Também estava alterada. Escrevi o post minutos depois do sucedido, porque senti necessidade de despejar para aqui o que me vinha na alma. Mas fiquem tranquilos que as coisas da Zunfinha estão guardadas. Sou impulsiva mas também sou racional e mesmo nos momentos de stress e afins, consigo que os dois estejam em sintonia.

    Agora, daqui para a frente, só dependerá dela, voltar a reaver os saquinhos mas, um a um e, a seu tempo.

    Obrigada mais uma vez a todos vocês!

    Um beijo meu e da Zunfinha ;)

    ResponderEliminar
  15. :) Desejo eu futuramente ser uma mãe como você: Rigorosa mas com muito amor. Assim nascem as grandes pessoas.

    ResponderEliminar
  16. Oh, a isso se chama dar a educação certa e sim, estás a prevenir males maiores e futuros. Se te custa e dói? Ah pois deve custar e doer muito, nem imagino, sou franca mas sei que pensas sempre no melhor para a Zunfinha e neste caso agiste em conformidade, as crianças devem saber lidar com as frustações para se tornarem adultos responsáveis e seguros o suficiente para se ao escutarem uma negativa, não ficam possessos e desatarem à pancada a quem lhes faça frente. Fizeste bem e é assim mesmo que a tua Zunfinha vai aprendendo os seus e os teus limites, a acreditar que aquilo que prometes, cumpres, independentemente do que possa ser bom ou menos bom. E só assim, ela irá aprender e no futuro agradecer-te por seres uma excelente Mãe para ela!
    Beijocas cheias de carinhos e abracinhos nossos!

    ResponderEliminar
  17. Parabens mama...ser mae é dificil...e vamos aprendendo a ser maes diariamente e sempre com novos obstaculos à medida que eles crescem...A mim parece-me que esta foi uma etapa ganha.

    beijo cheio de carinho

    ResponderEliminar
  18. Sou mãe de dois piolhos. A minha tem quase 18 e o meu filhote tem 9. Uma coisa te digo: é +referivel agora enquanto são pequenos e conseguimos ainda moldá-los do que mais tarde, que já nada se faz deles. Aprendi à minhas custas... e olha que doi mas doi bem menos mais tarde.
    Bjs docinhos xxxx

    ResponderEliminar
  19. quando o meu pai me castigava doía-me mais que três palmadas.. as crianças têm que aprender a respeitar os pais, a fazerem o que lhes pedem... beijinho grande**

    ResponderEliminar
  20. Oh... agora até eu fiquei a chorar Essência. Um beijinho.

    ResponderEliminar
  21. Ó minha querida, ser mãe não é nada fácil. É nesta idade que a educação tem de ser firme e não podes vacilar nas tuas atitudes porque se não, ela depois faz de ti gato-e-sapato. Mas realmente é como dizes, mais vale chorares agora e ela ter aprendido a lição, do que mais tarde passares dias a chorar...
    Força! Abracinho bem apertado...

    ResponderEliminar
  22. Sei bem do que falas, sei bem o que sentes.
    Educação é o melhor que podemos deixar nos nossos filhos.
    Um beijinho de uma mamã que tal como tu fica muitas vezes com o coração pequenino...

    ResponderEliminar
  23. Não sou mãe, por isso nao posso imaginar metade do que estas a sentir.
    Mas acho que tomaste a atitude correcta. As crianças por vezes tentam levar os pais ao limite, levando-os a ceder. O que na maioria das vezes não é bom, uma vez que sentem que têm poder. E depois isso desencadeia um monte de atitudes nada boas. Mantém te firme, apesar de não ser facil. Será para o bem de ambas.
    Muitos beijinhos, força!

    ResponderEliminar
  24. Quando li o post pensei "caramba, esta (desculpe o tratamento) aprendeu com a minha mãe"
    Já ameacei fazer mas não fiz, ele dizia-me logo (e já disse) que posso deitar fora e depois já posso comprar novos! Ela ainda não percebe.
    Castigos sim, mas como este nunca consegui dar.
    Posso só dizer uma coisa, choco-me com a minha mãe em algumas coisas, mas não na educação. Ela foi apelidada de generala, de tirana, mas a filha (euzinha) nunca comeu com as mãos em pleno restaurante porque em casa a mãe generala ensinava a comer com talheres; nunca se enfiou dentro de um móvel porque a mãe generala lhe deu educação; nunca fez a mãe andar a correr feita louca no supermercado enquando a coitada da criança que não podia ser contrariada e tadinha era pequenina deitava tudo das prateleiras no chão.
    Juro que não teria coragem para tanto, mas filha de uma mãe que teve atitudes parecidas digo-lhe que chorarem as duas, só por agredecimento pela educação.
    Bjs

    ResponderEliminar
  25. Querida Essência,
    É uma posição de força, mas acho que foi a mais acertada (mesmo que agora custe um bocado... bocadão)
    Força:)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  26. olá. entendo o que sentes e porque fazes isso. estás a dar-lhe educação e não a queres tornar numa menina mimada. Em primeiro lugar, e tu já sabes isso, é que as crianças agem por imitação de um amigo ou familiar, o que é normal. Acho bem que a queiras educar ao teu estilo, por mais que te custe a ti e a ela ( porque isso do querer educar, do fazer o que está certo, também custa quando as crianças são pequenas ). beijos e muita força

    ResponderEliminar
  27. Eu não sou mãe, mas entendo o que sentes. Acho que tiveste uma boa atitude. Não a podes deixar fazer o que quer.

    ResponderEliminar

"Eu não escrevo em português. Escrevo eu mesmo".♥ - Fernando Pessoa

A essência que queres partilhar comigo é?...