sexta-feira, 20 de junho de 2014

Porque é que quando uma mãe chega atrasada aos seus compromissos devia ser desculpada por isso:

- Zunfinha leva mais de 20 minutos a acordar.
- Zunfinha Cinderela quando resolve dar o ar da sua graça em despertar vem do sono com um mau humor, que é de bradar!
- Zunfinha primeiro que se levante, quase que precisa de uma grua. Não há grua, são os meus olhos arregalados e uma voz mais acentuada que a faz levantar.
- Zunfinha leva mais de 10 minutos para se levantar.
-  Zunfinha acha que não deve passar água pela cara para acordar. Afinal, está frio (comparado com o corpo quente que tem de ter vindo da cama). Ir directamente para a mesa comer, enrolada numa manta que apanha no meio do caminho é muito mais confortável. Depois o resultado, é catastrófico!
- Zunfinha a comer parece que lhe deram pedras. Come às prestações. Come na ponta do talher. E os braços? Os braços parece que têm pesos. Primeiro que levante um braço, tem que pedir licença ao outro. 
- Zunfinha a vestir, valha-se-me! Resolve querer ser ela a vestir. Mas quando estou com pressa, visto-a eu. Pois ainda demora muito a fazer as coisas e não as faz bem e, quer queira ou não, tenho que ir sempre rectificar e dar os ajustes certos. Ela quando está com a macaca, quer sempre fazer braço de ferro. Quer sempre levar-me ao limite. Óbvio que não leva a melhor. Óbvio que mesmo assim consegue algo, torrar-me a paciência. Quando está a estorricar, assusta-se.
- Zunfinha quer por que quer se pentear. Já sabe o resultado final, mas continua a testar a minha paciência que já está a transbordar. Relembro-lhe que nos dias normais é uma coisa, nos dias de que a rapidez é a palavra de ordem, é outra.
- Zunfinha para sair de casa quer levar os brinquedos a trás. O que é sinónimo de mais atrasos, de mais birras e tudo mais.
- Zunfinha está no carro e antes de arrancarmos, lembra-se sempre que se esqueceu de algo. Não lhe chega o que leva, ou se eu não estou atenta à mochila, ou à lancheira, é esquecimento na certa. Nestes dias, que lhe dou a incumbência de ter essa responsabilidade, é quando algo fica esquecido. Pois está com o pensamento ainda na ronha e depois nos brinquedos e na birra e no braço de ferro e no diabo à quatro...

Em suma, todos os dias (quase) é uma odisseia. Ainda dizem que as mães são chatas. As mães, as mães são umas heroínas, pá! 

7 comentários:

  1. A Zunfinha faz-me lembrar uma certa Txuguinha...e tu, nessa descrição, um certo Pai Txugo afogeado e atacado de "nervose matinal", tanto que a filha já lhe disse que ele fica muito bem com roupa de rua, pudera, sempre que está vestido e pronto para sair é quando lhe ralha mais e ela, esperta, diz que fica lindo de pijama.
    Ainda escapo a essas odisseias matinais mas precisamente hoje, assim que abri a porta para sair de casa, às 7h da manhã, ela chama-me. E eu, num misto de felicidade e resignação do evidente, fui lá. Cheguei 8 minutos depois da hora de entrada.
    Como te entendo....e ainda a missa vai no adro!
    Mimos e bom fim de semana ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. *que ele não fica muito bem com roupa de rua! (enganei-me!)

      Eliminar
  2. O teu relato fez-me sentir feliz por um lado e com medo por outro:) Feliz porque as minhas meninas sempre acordaram bem dispostas, sempre foram despachadas e sempre educadas no sentido de deixar tudo pronto de véspera para ninguém se atrasar. Corre (graças a deus) tudo sobre rodas de manhã:)...Por outro lado fiquei com um bocado de medo de ter sido general demais?! Agora é tarde Inês é morta...estão duas adolescentes que continuam a acordar sorridentes, se arranjam e põem prontas mais rápidas do que a mãe:) e quando eu desço:) é o sorriso delas que me espera À porta:)

    jinhooooossssss

    ResponderEliminar
  3. Denoto por aí o mau feitio da mamã? ;)
    Realmente é preciso muita paciência, o que vale é que tens muito discernimento como mãe!

    ResponderEliminar
  4. É impor-lhe regime militar! Alvorada às 6 da manhã e quem não estiver a pé incha 30 flexões!

    ResponderEliminar
  5. Miss Purple,

    :D

    Esmeralda,

    Aproveita essas escapadelas. ;)

    Suricate,

    Penso que não se trata de seres general ou não, pois se formos por aí, nesta casa é um quartel autêntico e, não vejo as coisas nesse sentido mas sim, no sentido de acreditarmos em certas e determinadas convicções e querermos passá-las aos nossos. ;)

    Sónica,

    Sem dúvida! ;) O que tem de parecenças do pai, de feitio, é toda mãe! ;)

    Enfant,

    Risos... agora fizeste-me rir (nem imaginas quão perto estás). ;)

    ResponderEliminar

"Eu não escrevo em português. Escrevo eu mesmo".♥ - Fernando Pessoa

A essência que queres partilhar comigo é?...