quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

O frangote já tem catarro!

Afinal andam-me a seguir os passos e nem dei por isso. Como sou uma cabeça-de-vento.

Através da minha página pessoal do Facebook recebo um pedido de amizade. Por norma, se não conhecer, não aceito. Por isso, antes, vou sempre ver de quem se trata. Foi o caso. Quando fui à página da pessoa, pelo nome, pela fotografia, não me disse nada. Não reconheci no imediato. Mas pela localidade, algumas fotos com outras pessoas, percebi que quem me tinha feito o pedido era um vizinho dos meus pais, e amigo dos meus priminhos adolescentes. Portanto, um adolescente também. Apesar de só conhecer de vista, de quando em vez acontecer um «olá», não achei mal aceitar o pedido. Achei que seria inofensivo, tranquilo. Bom, no próprio dia que aceito o pedido, horas depois, quando estou na página, o chat ressuscita. Não é que miúdo começa a meter conversa comigo. O que começou com um olá, tudo bem? Acabou com "eu sei sempre quando vais aos teus pais. Vejo o carro a passar e vou ver-te a sair do carro. És muito bonita. Podíamos combinar alguma coisa [...]" - Nem queira acreditar no que lia. Primeiro ri-me e tentei desvalorizar a situação, caricata. Afinal, é um garoto, caramba! Mas depois, quando notei que o frangote estava com muita atitude (demais até), resolvi por-lhe no lugar dele e, fiz-lhe ver que estávamos a anos luz um do outro, por tudo (até me faz espécie pensar nisso). E, que só tinha aceitado o pedido dele, porque tinha percebido que ele era do bairro dos meus pais e amigo da R e do A, e que tinha-me lembrado que às vezes o cumprimentava (com um olá, tudo bem?). Só por isso o tinha aceite, mais nada. Responde que já andou com mulheres mais velhas e que era bastante maduro para a idade dele. Não satisfeito, pede-me o número de telefone (entretanto, enquanto decorria esta breve conversa (não mais que 5 minutos) recebo uns quantos likes nas fotos e outros tantos comentários). Pensei depressa que, não valia a pena dizer mais nada porque a pessoa estava focada naquele propósito. Despachei-o rapidamente. No dia seguinte, assim que entro na página, lá o fulano mete conversa, mas ficou a falar sozinho, porque rapidamente meti-me off. E é assim que tenho estado desde então, off para os demais. Sei que nestas andanças da internet temos que ter cuidado e tudo mais, mas nunca pensei que uma situação destas fosse-me sair na rifa. É que não me faltava mais nada agora. Não me faltava ter um frangote à perna. A vigiar os meus passos quando vou aos meus pais e a divagar nos pensamentos. O que me falta mais? Oh, sorte.

12 comentários:

  1. Ahahah, oh Essência, tu és a sua "ídola", ainda por cima à breve distância de um clique e de um olhar, já imaginaste o quão pçatónico isso é para o míudo? Vive o seu sonho mais de perto. Desdramatiza e não lhe deÊs tanta importância, põe os pontos nos "is" e ele que abra os olhos. Acho mal colocares-te na posição de "off" por causa dum puto, frangote e atrevidote.
    Isso é o mesmo que teres chutado a bola para o lado do adversário. Atiça-lo ainda mais, acho eu!

    Já vai longo o comentário e a opinião.
    Beijocas nossas ;)

    ResponderEliminar
  2. *platónico (erro de simpatia, só mais um entre tantos)

    ResponderEliminar
  3. Coitado. Como o compreendo. Também tive os meus "amores" assim :-)

    Tirando a brincadeira, cada caso é um caso. Se ele diz que "...já andou com mulheres mais velhas " retira todo o "romantismo" à situação.

    ResponderEliminar
  4. Oh senhores... olha que realmente !
    Este mundo anda tão doidinho possas... Mas vá, sempre te podes sentir lisonjeada sim?
    :)

    ResponderEliminar
  5. ahahahah é engraçado para quem está de fora, mas levar com isso não deve ser nada agradável. Quando era pequena tive um amor platonico por um amigo da minha irmã, mas não passou disso. Credo hoje os miudos são muito à frente.

    ResponderEliminar
  6. Ó Essência, desculpa-me. mas não páro de me rir.
    ahahahaha!
    Sabes? Eu não aceito ninguém, até do meu emprego. Quando tal, tinha os funcionários da escola, os alunos e se há coisa que não tenho paciência, é para o FB.
    Vou lá porque tenho algumas amizades que preservo, mesmo as virtuais, mas não tenho conversas por lá.
    Mas adorei este teu post. Ahahahahaha!
    Um beijinho

    ResponderEliminar
  7. Boa noite. O puto é muito atrevido. Nem eu sou assim, tão atrevido com aquelas mulheres que até são interessantes e solteiras... digo as Valonguenses e outras pessoas. Eu sou mais para o romântico. E neste momento, chego a ser seco para uma amiga que me adora, porque não quero que ela se apaixone por mim, de novo. No blogue e no facebook é sempre a primeira a responder, ou quase sempre a primeira. falo dela, mas talvez eu seja assim com outras pessoas e não me aperceba, não sei. Ao pé da minha casa, uma amiga dos donos de uma Confeitaria, por volta do ano de 2003, senta-se ao pé de mim e começa assim : " se eu te convidasse a ir a minha casa, ver uns filmes, tu ias comigo? ". Achei a conversa estranha, porque nunca me tinha acontecido tal... A Jovem, já com mais de 30 e tal anos, tinha buço ou bigode e eu a pensar " Credo, e logo ir a sua casa.. " e a conversa da Jovem ficou por aí, e sem resposta minha...hahah... Vê isto por um lado positivo: é sinal que és especial e simpática, se fosses indiferente, ele nem te dizia nada. beijos e um abraço

    ResponderEliminar
  8. Essa é a twilight zone facebookiana!!
    http://www.youtube.com/watch?v=nEBN30I5Voc

    ResponderEliminar
  9. Essência,
    1-ahahhahahah só te saem duques
    2- podes simplesmente "desamigar" o franguinho
    3- podes manter o contacto e bloquear acesso ao que publicas e o que fazes assim nao tens de levar com ele.
    4-deixas na mesma e quando vier falar minimizas a janela e mais cedo ou mais tarde há-de surgir outra mulher mais velha que goste desse rapaz tão maduro para a idade...
    5-tem paciência. Já nao se fazem moços recatados como antigamente :-)


    Beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Karochinha,

    Não concordo quando dizes "Isso é o mesmo que teres chutado a bola para o lado do adversário. Atiça-lo ainda mais, acho eu!" - Apesar de ser a tua opinião, respeito, mas não concordo e, passo a explicar: tenho uma razão para fazê-lo. Foi a forma que encontrei para que me desamparasse a loja. Não estou numa fase para ter muita paciência para estas e outras situações do género (entre outras). E, para não ser rude, pois conheço-me, a solução viável que encontrei foi esta. Até porque não me afecta estar off. Aliás, é a postura que mantenho no gmail (mail do blog) e no face (pessoal), até não é assim tão mau. Porque mal uma pessoa entra o chat começa a piscar. Assim só falo com quem quero, quando quero e tudo certo. Achas mesmo que se fosse algo que me prejudicasse eu faria? Sei que não me conheces, mas do pouco que vais apanhando aqui e ali, dá para ter uma noção (mínima) da pessoa. Vá, abracinhos ;)

    Panóplia,

    Estou a dispensar, completamente. ;)

    Yellow,

    Nem com romantismo nem sem! Entendo o que queres passar, mas por amor a não sei o quê... ;)

    Palavra,

    Não! Não posso! Não quero! Não nada! :)

    Sónica,

    Nunca tive um amor platónico, por isso não consigo entender. Tento, mas fica difícil. Tenho outra perspectiva que é o oposto. É, os miúdos de hoje, enfim... :s

    Cantinho,

    Ri-te à vontade. Que ao menos isto sirva para algo produtivo. ;)

    apenas umas palavras,

    Não consigo ver o lado positivo desta história, mas sim, uma carga de trabalho. ;)

    Inês,

    Risos

    Pusinko,

    Gostei da tua analise em itens.;) De facto, só me saem duques. :s

    Maria,

    Ele pensa que tem tudo (risos). ;)

    Abracinhos

    ResponderEliminar

"Eu não escrevo em português. Escrevo eu mesmo".♥ - Fernando Pessoa

A essência que queres partilhar comigo é?...