segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Estou aqui!


Sentada num banco de jardim, vejo o movimento do mundo. Sim, noto as pessoas a andarem apressadas nas suas vidas, preenchidas, ou não. Mas, andam apressadas, isso sim, é um facto.
Noto o semblante carregado pelos pensamentos invadidos das preocupações. Contudo, o sorriso a entrar pela face a dentro por um devaneio ou outro que desperte a atenção no momento, também é notável. Afinal, vivemos em constante transformações de nós mesmos, dos outros. Há que moldar-se. Há que saber interpretar o que é visto e sentido. Há que notar-se, porque senão, não conseguimos acompanhar nada. Ou seja: nós mesmos e quem nos rodeia.
Noto que me encontro acompanhada, pelos velhinhos despreocupados, desprovidos de tudo a gozar os últimos dias de vida no seu banco de jardim predilecto. A assistir de camarote todo o espectáculo que em outrora já foram as suas vidas também. Assim, apressadas... contudo, eles, já levam na bagagem a sabedoria adquirida da vida. Estão em vantagem. Estão sempre em vantagem. Eles, são uma preciosidade rara. Idiota é quem não se dá conta disso. Pior, quem ache que são um peso morto na vida, na sociedade. Oh, e era tudo mais fácil se tirássemos partido da sabedoria de quem efectivamente sabe, através da cartilha da vida. Ganharíamos tanto... 
Noto aquele casal que leva o seu bebé a passear no carrinho. Lá vão eles cheios de esperança na vida, no futuro... é bonito sim, de se ver.
E as criancinhas? Sim, aquelas que vão brincar no baloiço. Aquelas que transpiram inocência, pureza. Aquelas, que conseguem trazer o que de melhor há em nós. Sim, essas. São a água cristalina do Universo.
Noto que depois de ter presenciado tantas coisas, lá continuo sentada no banco de jardim, a olhar em volta do mesmo, e dou por mim a dar-me conta desse movimento constante das pessoas. O movimento constante da natureza. Aquele, que referi à pouco. Pois. Porém, numa conclusão abrupta, como se as ideias quisessem acompanhar o que era visto gritam:  há vida! Há tristeza, dor, incertezas de um amanhã melhor mas, há esperança! Por mais ténue que pareça, mas há! Existe efectivamente no olhar, na atitude, apesar de tudo... e, quando reflicto, mais uma vez, sinto verdadeiramente que, é bom estarmos vivos e viver todas as mutações em todos os sentidos a que estamos sujeitos. É bom ganhar feridas, cicatrizes, sim. É sinal que estivemos activos. É sinal que existiu evolução. E, por mais insólito que possa parecer, por mais taralhoco, acredito no meu íntimo que, é por tudo isto e muito mais que nos faz crescer e amadurecer.
E sim, quem achar que tudo sabe, já não anda aqui a fazer nada.

Estou de volta.

18 comentários:

  1. Saudades de ti, do cantinho :)
    E quem pensa que sabe tudo, não sabe é nada..ainda temos de ter mais feridas para aprendermos a lidar com tantas mais situações que nos chegam.
    Beijinho e bem vinda *

    ResponderEliminar
  2. Olá. bem vinda de volta! espero que as férias tenham sido boas, ou o trabalho. Num banco de jardim, ou a simples passagem por um jardim, notamos muita coisa. Aqui não existem jogos no jardim, mas no Jardim de S. Lázaro, ao pé da Biblioteca do Porto, existem sempre um aglomerado de idosos, mais de 20 idosos, uns em pé, a jogarem as cartas, às damas. Um banco de jardim, serve para pensarmos na vida ou para momentos de lazer. beijos e uma boa semana

    ResponderEliminar
  3. E que regresso ;)) Bem vinda de volta!!

    ResponderEliminar
  4. Até que enfim, a tua ausência fez-se sentir, acredita!
    Espero que o interregno/férias tenha sido bom.

    Beijocas nossas e bom regresso!

    ResponderEliminar
  5. A vivência surge e cresce na vida de quem a procura e de quem a sabe trabalhar... Vive sempre!


    beijo
    Sutra
    P.S.: Tinha saudades de te ler... gostei do texto!! :)

    ResponderEliminar
  6. Já estava cheia de saudades tuas minha querida!
    Concordo plenamente com as tuas ultimas frases, mas não fiques apenas a observar...agir também faz parte desse crescimento.
    Bjs ;)

    ResponderEliminar
  7. "Enquanto houver estrada para andar a gente vai continuar."
    Estou tão contente por te "ver"!!!

    ResponderEliminar
  8. «Estou aqui!
    (...)
    Estou de volta.»

    De qualquer e em qualquer das formas, tu estiveste sempre connosco! ;-)

    ResponderEliminar
  9. muito bem minha Essência!!!
    começaste em grande, adorei este texto!!!

    ResponderEliminar
  10. Gosto de te ler, há sempre um bocadinho mais a aprender.

    ResponderEliminar

  11. Bem-vinda e não te esqueças de nos contar os teus devaneios de férias.

    :) desejo

    ResponderEliminar
  12. A vida sem algo de amargo enjoa, o problema é quando esse gosto amargo toma conta da vida por inteiro!

    ResponderEliminar
  13. Até que enfim!!!Já tinha estranhado a ausência......

    ResponderEliminar
  14. Tive imensas saudades vossas! Imensas saudades de escrever...

    Obrigada pelo vosso carinho. Obrigada pelos vossos comentários, mails, obrigada por tudo, de coração!

    Um beijo em cada um de vós, no coração. :)

    ResponderEliminar

"Eu não escrevo em português. Escrevo eu mesmo".♥ - Fernando Pessoa

A essência que queres partilhar comigo é?...